A pesquisa do professor se transformou na lixeira do reitor!

O título do post é uma das muitas palavras de ordem usadas pelo movimento estudantil na ocupação da Reitoria da Unb. (Palavras de ordem: rimas curtas e de teor político usadas para a mobilização. Exemplo: “Um, dois, três! Quatro, cinco, mil! Aqui está presente o movimento estudantil!”)

Não raro, movidos por partidos políticos nanicos que pensam estar no auge da Revolução Russa, os movimentos de ocupação têm pautas distantes e sectárias, como “extinção do Reuni”. Mas não é esse absolutamente o caso. A pauta é real e bem próxima do cotidiano. O reitor torrou cerca de 470 mil reais (dados do Ministério Público do DF) na reforma de sua residência oficial – comprou-se até lixeiras de mil reais -, ao que retruca eufemizando: “foram menos de 350 mil!”. Enquanto isso, como grande parte das universidades públicas, as condições de ensino e pesquisa são precárias e não se vislumbra no horizonte movimento semelhante de derrame tão generoso de divisas. Motivo? Faltam verbas! Daí o acerto da palavra de ordem: “a pesquisa do professor se transformou na lixeira do reitor!”. Com todos os equívocos que sempre rondam o movimento estudantil, podemos dizer que este tem um bom motivo de indignação ética e luta política. Espero que não se deixe contaminar por bandeiras exógenas, tal como fortalecimento da Conlute ou sei lá o quê. Eu sei que vocês não sabem o que é Conlute e, creiam, isso é positivo. O que importa é que continuem sem saber, para a saúde mental de vocês.

No mais, a ocupação está igual às outras: Polícia Federal ameaçando, pedido de reintegração de posse, barracas, sexo, vinho, violão, “teatro popular”, corte de água, internet e telefone, visita de políticos (no caso, Cristóvam Buarque, senador). Inesperado foi o apoio do Marcelo Tas, no ar, em CQC.

Bem, espero que Timothy Mulholland saia logo. Não pelo bem do movimento estudantil. Mas pelo meu. É que não pretendo escrever sobre isso de novo. Lixeiras de mil reais e ocupação de reitoria são realmente um porre!

UPDATE: O Ministério Público do DF acaba de dar razão aos estudantes ocupantes e pediu o afastamento do Reitor do cargo, acusando-o de ter usado indevidamente parte da verba destinada à pesquisa na reforma do apartamento oficial, ou seja, improbidade administrativa.

Tags: ,

Uma resposta to “A pesquisa do professor se transformou na lixeira do reitor!”

  1. Tássia Says:

    kkkkkkkkkkk Muito bom!

    principalmente a parte do “Eu sei que vocês não sabem o que é Conlute e, creiam, isso é positivo. O que importa é que continuem sem saber, para a saúde mental de vocês”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: